Pular para conteúdo

Karmapa#

A linhagem Karma (ou Kamtsang) Kagyu surgiu com o 1º Karmapa (séc. 12), que foi um dos principais alunos de Gampopa. “Karmapa” significa a corporificação das atividades dos budas, ou “aquele que se encarrega da atividade búdica”.

Na tradição tibetana, se diz que grandes mestres iluminados conseguem conscientemente controlar seu renascimento, para poder continuar sua atividade para o benefício de todos os seres.

dusum-khyenpa.webp
O primeiro Karmapa, Dusum Khyenpa, nasceu em 1110. Foi o primeiro entre mestres tibetanos a estabelecer uma linhagem de encarnação. Desde sua morte em 1193, Karmapas sucessivos têm encarnado nesse tipo de “corpo de manifestação” (sânscrito: nirmanakaya), por 16 vidas até agora, e todos tiveram um papel fundamental na preservação e propagação dos ensinamentos budistas no Tibete.

Antes do nascimento do primeiro Karmapa, a chegada de um mestre budista, que seria conhecido como Karmapa, havia sido profetizada pelo buda histórico Shakyamuni e pelo grande mestre tântrico da Índia, Guru Padmasambhava.

Pelos séculos, Karmapas têm sido uma figura central para a continuidade da linhagem vajrayana em geral e para a linhagem Karma Kagyu em particular, tendo um papel importante na preservação das linhagens de estudo e prática do budismo.

17º Karmapa#

karmapa17.webp

Sua Santidade o 17º Gyalwang Karmapa, Ogyen Trinle Dorje, é o atual líder da linhagem Karma Kagyu, que tem 900 anos, sendo um guia para milhões de budistas pelo mundo.

Nascido em 1985, ele escapou do Tibete sob jugo chinês em 2000, vivendo depois por muitos anos como exilado na Índia.

Viajando pelo mundo, o Karmapa habilmente ensina o Dharma tradicional do budismo tibetano, ao mesmo tempo que defende tópicos como preservação ambiental, feminismo, digitalização do Dharma etc.

(resumido da página oficial. Para ler uma biografia mais completa, acesse este link)