Pular para conteúdo

3. Adoção perfeita da boditchita#

> Preparação >> Acumulação de mérito >>> Regozijo na virtude

1. Regozijo-me em deleite com
a virtude que alivia o sofrimento
de todos os seres sencientes
e os estabelece em conforto.

2. Regozijo-me com a acumulação de virtude
que se torna a causa da budeidade,
e também com os seres que finalmente
se libertam do sofrimento cíclico.

3. Regozijo-me na iluminação
dos Protetores e na realização
dos níveis bodisatva dos
herdeiros das vitoriosas.

4. Regozijo-me em deleite na ação iluminada
que beneficia a todas, e no oceano de virtude
gerado no cultivo da mente que busca
confortar todos os seres sencientes.

>>> Pedido para girar a roda do Dharma

5. Com mãos em prece, suplico
aos budas de todas as direções:
acendam a luz do Dharma sobre
a atitude cega dos seres em sofrimento.

>>> Pedido para que os budas não passem ao nirvana

6. Com mãos em prece, suplico aos vitoriosos
inclinados a passar além do sofrimento:
por favor não nos deixem na cegueira,
permaneçam por incontáveis eras!

>>> Dedicação do mérito para o benefício alheio

7. Desse modo, através do mérito que eu
tenha acumulado com toda esta prática
(dos sete ramos), que todo o sofrimento
de todos os seres seja removido.

8. Para quaisquer doenças dos seres,
até que sejam curadas, que eu
possa atuar como o remédio,
a médica e os enfermeiros.

9. Com uma chuva de comes e bebes, que a
angústia da fome e sede sejam removidas.
Em longas temporadas de falta de comida,
que eu mesmo seja alimento e bebida.

10. Para seres sencientes destituídos, na miséria,
que eu seja um tesouro inesgotável, fonte
de todos os mais variados bens e necessidades,
permanecendo bem ao seu alcance.

>> Treinamento da mente >>> O treinamento em si

11. Doarei sem avareza meu corpo,
assim como meus bens, e toda
a virtude acumulada nos três tempos,*
para o bem de todos os seres sencientes.

* Essas doações são chamadas de "três bases da fixação no ego". Sem isso, não há mais nada onde se fixar: é como se soltássemos uma grande carga presa a nossas mentes, podendo agora abrir nossos corações livremente. É preciso praticar isso constantemente — com a visão do não eu, vacuidade e compaixão não referencial — pois a fixação no ego volta.

>>> A lógica da necessidade de treinar a mente

12. Ao doar tudo, nirvana,
minha intenção a ser realizada.*
Para oferecer tudo de uma vez,
o melhor é dar aos seres sencientes.

* É abrindo mão das bases de fixação no ego que o nirvana é realizado.
A virtude acumulada é oferecida junto com tudo mais pois, geralmente, contaminamos isso com apego — esse tipo de virtude não leva à liberação. Doar aos seres garante que continuemos no caminho supremo, de jamais abandoná-los.

>>> A oferenda específica do próprio corpo

13. Meu corpo já está entregue a todos,
para que façam o que desejarem. Peguem
e usem como quiserem: repetidamente
nele batendo, xingando e até matando.

14. Como já doei meu corpo,
para ser usado como diversão
ou objeto de zombaria,
para que ficar prezando-o?

15. Que elas possam fazer o que
quer que não as prejudique.
O que quer que façam em relação a mim,
que isso possa sempre beneficiá-las.

16. Quem quer que sinta raiva
ou admiração em relação a mim,
que isso se torne a causa para
a realização de seu benefício.

17. Não há problema: podem
tirar sarro de mim, prejudicar
ou insultar. Que vocês todos
tenham a fortuna da budeidade!

>>> Dedicação do treino da mente para o bem alheio

18. Que eu seja a proteção para os desabrigados,
o guia para os que adentraram o caminho,
o barco, a balsa e a ponte para
quem deseja cruzar as águas.

19. Para os que anseiam por terra, que eu
seja a ilha, a lamparina para quem deseja luz,
e a cama para quem precisa de descanso.
Que eu sirva a todos que necessitam de um servo.

20. Que eu seja a joia dos desejos e o vaso da fortuna,
o encantamento eficaz e o grande remédio.
Para todos os seres, a árvore mágica
e a vaca da prosperidade.

21. Assim como a terra, os poderosos
elementos e o espaço, que eu sempre
atue como a fundação das diversas
formas de sustento para seres incontáveis.

22. Para os diversos tipos de seres
que preenchem os limites do espaço,
até sua liberação final, que eu
seja sua fonte de vida.

> Voto bodisatva

23. Assim como os sugatas do passado
deram nascimento à mente do
despertar, e seguiram as etapas do
treinamento bodisatva,

24. do mesmo modo, para o benefício
dos seres, darei nascimento à mente
do despertar, e seguirei as
etapas desse treinamento.

> Conclusão >> Auto-regozijo

25. Pessoas com tal discernimento,
que geram de modo excelente a boditchita,
para não apenas se engajar nas ações,
mas também para expandi-las, se animam assim:

26. Agora minha vida tem sentido,
cheguei a uma existência humana digna.
Hoje, nasci dentro da linhagem dos budas,
tornando-me sua herdeira.

27. Agora, farei de tudo para realizar
as ações de acordo com essa natureza,
e para não manchar essa linhagem
sagrada e impecável.

28. Sou como o cego que achou
uma joia em meio ao pó.
Do mesmo modo, como a mente
do despertar foi surgir em mim?

29. Este é o néctar sublime
que aniquila o Senhor da Morte,
é o tesouro inesgotável
que varre a pobreza dos seres.

30. É o remédio supremo que pacifica
completamente a moléstia dos migrantes,
a árvore onde os seres exaustos, vagando
na trilha da existência, podem descansar.

31. Esta é a grande ponte por onde
os seres se libertam dos reinos inferiores.
É a mente surgindo como a lua, dissipando
a tendência aflitiva dos migrantes.

32. É o Sol todo poderoso, que
purifica a ignorância alucinatória.
É a nutritiva e cremosa manteiga
batida no leite do Dharma sagrado.

33. Visitantes trilhando a estrada da existência,
ansiando por desfrutar bens gloriosos: aqui bem perto
está o contentamento sublime, aquilo que
satisfaz os seres sencientes em sua grande jornada.

>> Incentivo para que outros seres se regozijem

34. Hoje, diante de todas as fontes de refúgio,
eu convido os seres para esta glória,
até a budeidade. Que os deuses, semideuses
e todos os demais se regozijem!

Este foi o “Capítulo 3 – Adoção perfeita da boditchita”, do texto Engajamento na Ação Bodisatva.