Pular para conteúdo

10. Dedicação#

> Breve exposição

1. Pelo mérito de ter escrito
Engajamento na Ação Bodisatva,
que todos os seres migrantes
adentrem a conduta bodisatva.

> Explicação detalhada >> A virtude como causa da felicidade e benefício dos seres >>> Libertar seres frágeis do sofrimento
>>>> Dedicação geral para o fim das angústias nos três mundos

2. Por meio de meu mérito, que em
todas as direções, quem estiver
angustiado ou doente de corpo ou mente,
obtenha um oceano de conforto e alegria.

3. Enquanto estão no samsara,
que sua felicidade jamais diminua.
Que os seres obtenham a alegria
bodisatva ininterrupta.

>>>> Dedicação específica para seres nos reinos inferiores

4. Que todos os seres nos infernos,
tantos quanto houver,
em cada universo, deleitem-se
na alegria do Reino de Sukhavati.

5. Que todos que sofrem com frio se aqueçam,
e os afligidos por calor se refresquem
em rios sem fim originando nas grandes
nuvens emanadas por bodisatvas.

6. Que as florestas de folhas cortantes
se tornem bosques prazerosos e belos.
Que os troncos dessas plantas de facas
deem origem a árvores que realizam desejos.

7. Que as terras infernais se transformem
em deleite, com lagos de lótus perfumados,
embelezados por animais como cisnes
e gansos cantando agradavelmente.

8. Que as montanhas em brasa se tornem montes
de joias, e o chão em chamas se transforme num piso
de cristal. Que as montanhas esmagadoras se tornem
templos de adoração repletos de sugatas.

9. De agora em diante, que as chuvas de lava,
brasas e facas virem uma chuva de flores.
Que aqueles que se atacam com suas armas,
de hoje em diante, joguem flores de forma divertida.

10. Que os afogados no Rio de Cinzas — cuja água é como fogo — completamente descarnados, ossos brancos como flores de jasmim, pela força de minha virtude, obtenham um corpo celestial e fiquem na companhia divina
à beira do Rio Mandakini.

11. “O que assusta tanto os horríveis guardas do Senhor da Morte, seus corvos e abutres? Quem teria esse poder perfeito
que dissipa a escuridão e traz alegria?”, pensam eles.
Olhando para cima, eles veem Vajrapani brilhando
no centro do espaço. Livres de negatividades pelo poder
do deleite sublime, que os seres possam associar-se a ele.

12. Vendo uma chuva de flores em meio à água perfumada
molhar e extinguir as chamas infernais, que os seres no inferno
sejam saciados por um êxtase repentino, e ao se questionarem sobre o motivo disso, que possam enxergar
Aquele que Empunha o Lótus.

13. “Amigas e amigos, dispensem o medo e corram até aqui!
Quem poderia ser esse que agora chega a nós aliviando todo
o sofrimento, exalando a energia da alegria, protegendo
os seres de tudo, o bodisatva que deu nascimento à compaixão,
o jovem com cabelo trançado que dissipa todos
os nossos medos?”

14. “Olhem como centenas de deidades reverenciam
seus pés de lótus com suas coroas. Seus olhos
estão úmidos de compaixão, uma chuva de diversas flores
recai sobre sua cabeça. Vejam esse adorável palácio onde milhares de deusas o louvam melodiosamente!”
Que os habitantes do inferno manifestem tal clamor
quando contemplarem Manjughosha.

15. Então, pela minha virtude, que os seres nos infernos
se regozijem, vendo uma nuvem de bodisatvas livres
de obscurecimentos, guiados por Samantabhadra, derramar
sobre eles uma chuva reconfortante, fresca e perfumada.

16. Que o medo dos animais de serem
devorados uns pelos outros desapareça.
Assim como os humanos do Continente Norte
cósmico, que os fantasmas famintos tenham conforto.

17. Que o leite fluindo das
mãos do nobre Tchenrezig
sempre sacie, purifique e
refresque os fantasmas famintos.

18. Que todos os cegos enxerguem,
que os surdos escutem continuamente,
e que grávidas deem à luz sem dor,
assim como a Rainha Mayadevi.

19. Que as pessoas descobertas obtenham
roupas, e os famintos adquiram comida.
Que aquelas que têm sede encontrem
água e bebidas deliciosas.

20. Que os pobres tenham riqueza,
e os angustiados de pesar gerem
alegria. Que os deprimidos
tenham alívio e boa firmeza.

21. Que todo ser doente se liberte
rapidamente da moléstia.
Que os males sem exceção dos seres
migrantes jamais ocorram novamente.

22. Que os seres aterrorizados tenham destemor,
que os encarcerados sejam libertos,
que os impotentes tenham força
e mente amigável uns com os outros.

23. Que todas as direções sejam confortáveis
para todas as pessoas em viagem.
Que elas realizem sem esforço
os objetivos pelos quais se deslocam.

24. Que aquelas que embarcaram em navios
e barcos realizem suas intenções,
e que possam chegar com segurança à costa,
para se alegrar com suas famílias.

25. Que os perdidos em caminhos ermos
encontrem outros viajantes e prossigam
sem medo de ameaças, como bandidos ou animais
perigosos, tranquilamente e sem cansaço.

26. Que crianças ou idosos desprotegidos
em áreas miseráveis e inacessíveis,
pessoas adormecidas, embriagadas ou loucas
sejam protegidas pelas deidades e guardiões.

27. Livres de todas limitações, que os seres
tenham fé, compaixão e sabedoria.
Tendo alimentação e conduta excelentes,
que sempre recordem suas vidas passadas.

28. Que todos tenham riqueza infinita
como o tesouro do espaço,
desfrutando livremente, sem
qualquer disputa ou violência.

29. Possam os seres de aparência frágil
e desfavorecida terem glória e esplendor.
Que as pessoas ascetas, fisicamente em
dificuldades, tenham os corpos mais excelentes.

30. Que todas as mulheres do mundo
tenham posições importantes.
Que as pessoas rebaixadas se elevem
sem nenhum traço de orgulho.

31. Pelo poder de meu mérito,
que todo ser, sem exceção,
abandone todas as transgressões
e sempre aja com virtude,

32. que nunca se separe da mente do despertar,
engajando-se na ação bodisatva,
e que seja abraçado pelos budas,
abandonando atitudes maldosas.

33. Que todos os seres sencientes tenham
vida imensuravelmente longa,
que sempre vivam confortavelmente
e que não haja nem o som da palavra morte.

34. Que bosques prazerosos com árvores
dos desejos preenchidos com a melodiosa
proclamação do Dharma dos budas e sua
descendência abundem em todas as direções.

35. Em todo lugar, que o solo esteja livre
de asperezas como cascalho, sendo
macio como a palma da mão,
tendo a natureza do lápis-lazúli.

36. Que haja muitas mandalas de budas
e bodisatvas rodeadas por seus séquitos.
Que elas adornem a superfície
da terra com sua presença.

37. Que todos os seres vivos ouçam
incessantemente a melodia do Dharma
saindo de todos os pássaros, árvores,
raios de luz e até do espaço.

38. Que eles sempre encontrem
os budas e sua descendência bodisatva e,
com ilimitadas nuvens de oferendas,
reverenciem o Mestre dos Seres.

39. Que as divindades façam chover na época certa,
que as colheitas sejam excelentes,
que os poderosos ajam conforme o Dharma,
e que as pessoas leigas prosperem.

40. Que os remédios sejam eficazes
e os encantamentos funcionem.
Que seres como dakinis e rakshasas
tenham compaixão em suas mentes.

41. Que nenhum ser senciente
se angustie, tenha maldade ou doença.
Que ninguém seja temeroso ou desprezado.
Que ninguém tenha desconforto.

42. Prosperando com estudo e recitação,
que os templos mantenham excelência.
Que a Sangha, em constante harmonia,
realize seus objetivos.

43. Que os praticantes monásticos que
desejem treinar encontrem retiros e,
abandonando toda distração,
meditem tornando a mente trabalhável.

44. Que as monjas tenham apoio,
estando livres de controvérsia e descrédito,
podendo assim renunciar de fato
e ter disciplina imaculada.

45. Quem quebrou votos que se arrependa,
constantemente eliminando negatividades e,
obtendo nascimento favorável, que mantenha
disciplina espiritual sem corrupção.

46. Que os professores instruídos sejam
venerados e obtenham oferendas de alimento.
Que suas mentes completamente puras
tenham renome em todas direções.

47. Sem vivenciar as dores dos reinos inferiores,
sem passar por dificuldades,
com corpos superiores aos divinos,
que os seres logo se tornem budas.

>>> Dedicação para realizar o objetivo sublime

48. Que cada ser faça muitas
oferendas a todos os budas.
Que sempre tenham o deleite
do êxtase sem fim dos sugatas.

49. Com as aspirações de bodisatvas para
o bem dos seres realizadas,
que todos obtenham facilmente
a intenção iluminada dos protetores.

50. Da mesma forma, que tenham
satisfação os pratyekabudas e shravakas.

>> Dedicação para que eu possa realizar a atividade iluminada

51. Até que eu realize o primeiro nível bodisatva,
pela bondade de Manjughosha,
que eu sempre possa relembrar minhas vidas
e realizar a renúncia da ordenação.

52. Mesmo que tenha pouco
sustento, possa eu ter vitalidade.
Em todas as minhas vidas, que eu permaneça
em retiros com todas as excelências.

53. Sempre que deseje encontrá-lo
ou fazer uma mera pergunta,
que eu possa ver sem impedimentos
o protetor Manjushri.

54. Assim como Manjushri atua para realizar
o benefício de todos os seres,
até o fim do espaço, nas dez direções,
que minha atividade seja como essa.

55. Enquanto o espaço perdurar,
enquanto houver seres migrantes,
vou permanecer, para dissipar
o sofrimento dos seres.

56. Quaisquer que sejam os sofrimentos
dos seres, que amadureçam em mim.
Que a Sangha de bodisatvas faça
os seres desfrutarem de bem-estar.

>> Dedicação para a propagação do Buda Dharma,
que incorpora os dois benefícios

57. O remédio que, sozinho, cura o sofrimento
dos seres, a fonte de toda felicidade: que o
Ensinamento permaneça por muito tempo,
tendo apoio material e respeito.

> Conclusão >> Louvor em lembrança à bondade de Manjushri

58. Eu me curvo a Manjushri, cuja bondade
deu origem à virtude em minha mente.
Também me curvo aos mestres espirituais,
cuja bondade me fez florescer.

Este foi o “Capítulo 10 – Dedicação”, do texto Engajamento na Ação Bodisatva, escrito pelo mestre espiritual Shantideva.