Pular para conteúdo

Capítulo 6 – Ensinamento sobre ações e resultados (karma)#

— Quais são as causas de onde surgem esses sofrimentos mencionados?

É preciso compreender que eles surgem de ações1 contaminadas. Nesse sentido, o texto Cem Ensinamentos Sobre Karma diz:

Esta variedade de ações
criou esta variedade de seres.

O Sutra Lótus Branco da Compaixão também afirma:

Ações criaram este mundo, ações o manifestaram. Ações criaram os seres, que surgem de causas kármicas. Ações criam toda esta variedade.

O Tesouro do Abidharma também menciona:

Os diversos mundos nasceram de ações.

— O que exatamente é “ação”?

Isso se refere à atividade mental e a ações motivadas pela mente. Sobre isso, a Compilação do Abidharma ensina:

“O que é karma?” Há ações mentais
e ações planejadas pela mente.

O Tesouro do Abidharma também diz:

Karma é pensamento e aquilo que ele produz.

Os Versos-Raiz Madhyamaka também afirmam:

O Grande Sábio disse que karma são pensamentos e atitudes.

— E o que são esses dois aspectos?

Atividade mental é o que a mente faz. O que acontece devido à mente é aquilo que foi intencionado pela mente, ou seja, as ações de corpo e fala. Sobre isso, o Tesouro do Abidharma ensina:

Pensamento é a atividade da mente.
O que surge daí são as ações de corpo e fala.

O resumo da explicação dessa atividade mental e aquilo que surge dela é:

Categorias, características, atribuição,
proporção exata, multiplicação e inevitabilidade.
Esses seis pontos sumarizam as ações e resultados.

1. Categorias#

Há três categorias de ações e consequências a serem compreendidas:

  • ações com mérito e seus resultados;

  • ações demeritórias e seus resultados;

  • ações que não provocam mudança e seus resultados.

2. Características do karma#

A seguir, está a explicação sobre as características de cada categoria.

Ações demeritórias e seus resultados#

Em geral, há muitas desvirtudes, mas resumindo os tipos de karma, há dez desvirtudes: três do corpo (matar etc), quatro da fala (mentira etc) e três da mente (cobiça etc).

Cada uma delas é explicada conforme três pontos: divisões, resultados e casos específicos.

Matar#

A primeira desvirtude se divide em três: matar pelo desejo, ódio ou por ignorância. Matar pelo desejo se refere a tirar a vida para obter carne, pele, diversão, riqueza ou para proteger a si ou outras. Matar por ódio se refere a tirar a vida devido ao rancor que surge por alguém que ressentimos ou temos rivalidade. Matar por ignorância se refere a tirar a vida para fazer oferendas.

Os resultados de matar também são três: resultado amadurecido, similar à causa e o resultado condicionador. O resultado amadurecido de matar é nascer no inferno. O resultado similar à causa é que, mesmo renascendo como humano, a vida será curta e repleta de doenças. O resultado condicionador é nascer numa área perigosa e com pouca vida.

Um caso específico de assassinato extremamente grave é matar o próprio pai (ou mãe), tendo ele a realização arhat.

Roubar#

Há três categorias sobre “pegar o que não foi dado2”: tomar pela força, furtar e tomar através de fraude. Tomar o que não foi dado pela força é roubar com o uso de violência. Furtar se refere, por exemplo, a invadir residências sem ser visto, para roubar. Pegar o que não foi dado através de fraude se refere a golpes como falsificar pesos e medidas em vendas.

Os resultados de roubar são três: o resultado amadurecido é nascer como fantasma faminto; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, sempre passar necessidades; e o resultado condicionador é nascer em um lugar com muita geada e granizo3.

Um caso específico de roubo extremamente grave é se apropriar indevidamente dos bens do mestre espiritual ou das Três Joias.

Conduta sexual imprópria#

Há três tipos de conduta sexual imprópria a serem impedidas: impedimento devido a laços familiares, devido a um compromisso com outra pessoa e devido ao Dharma.

O primeiro tipo se refere a sexo com parentes como pai, mãe, filho ou filha. Impedimento devido a um compromisso se refere à conduta sexual imprópria de se relacionar com alguém comprometida com outra pessoa, como um rei etc.

Impedimento do Dharma se refere a cinco tipos de conduta sexual imprópria com o próprio cônjuge, que envolvem: partes inadequadas, local inadequado, hora inadequada, quantidade inadequada e maneira inadequada4.

Partes inadequadas se referem a sexo com a boca ou ânus. Local inadequado é perto do professor, no templo, diante de uma estupa ou em público. Hora inadequada se refere a: durante “sojong”5, durante a gravidez ou período de amamentação, e durante o dia. Quantidade inadequada é mais do que cinco vezes. Maneira inadequada é com violência, com pessoa do mesmo sexo ou através da boca ou ânus de alguém hermafrodita.

Sobre os resultados da conduta sexual imprópria, o resultado amadurecido é nascer como fantasma faminto. O resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, a pessoa parceira se comporta como um inimigo raivoso. O resultado condicionador é nascer em uma área com muita poeira.

Um caso específico de conduta sexual imprópria extremamente grave é se relacionar com a própria mãe (ou pai), tendo ela a realização arhat.

Mentir#

Há três tipos de mentira: a mentira que é uma transgressão de votos, grandes mentiras e mentiras menores. A primeira é mentir dizendo possuir realização espiritual. A segunda é mentir para beneficiar a si ou prejudicar outras. A terceira é mentir sem benefício ou dano.

Os resultados de mentir são três: o resultado amadurecido é nascer como animal; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, ser constantemente caluniado; e o resultado condicionador é ter mau hálito.

Um caso específico de mentira extremamente grave é caluniar o Tathagata. Entre as negatividades, mentir para o guru também está entre as mais graves.

Criar discórdia#

Há três maneiras de criar discórdia: abertamente, insinuando e de modo oculto. Na primeira, alguém falando abertamente separa duas pessoas amigas. Na segunda, amizades são desfeitas devido a afirmações indiretas. Na terceira, pessoas são divididas com conversas em segredo.

Os resultados de criar discórdia são três: o resultado amadurecido é nascer no inferno; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, constantemente ter amizades desfeitas; e o resultado condicionador é nascer em um lugar com muitos declives e aclives perigosos.

Um caso específico, extremamente grave, de criar discórdia é acusar membros da Sangha, dividindo-a.

Fala ofensiva#

Há três tipos de fala ofensiva: aberta, com insinuações e ofender pelas costas. A primeira é diretamente apontar os defeitos de alguém. A segunda é dirigir a alguém diversas ofensas, misturando conversa corriqueira e piadas. A terceira é falar sobre os defeitos de alguém para uma pessoa amiga dela ou conhecida.

Os resultados da fala ofensiva são três: o resultado amadurecido é nascer no inferno; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, a pessoa sempre ouve coisas desagradáveis; e o resultado condicionador é nascer em uma área quente e seca com muitas pessoas negativas.

Um caso específico de fala ofensiva extremamente grave é dirigir palavras danosas para nossa mãe, pai ou para pessoas com realização espiritual.

Fala inútil#

A fala inútil se divide em três tipos: fala inútil enganada, mundana e verdadeira. A primeira se refere às recitações e liturgias “tirthika_6”_. A segunda são falas tolas em geral. A terceira é tentar ensinar o Dharma para pessoas sem fé ou inapropriadas.

Os resultados da fala inútil também são três: o resultado amadurecido é nascer como animal; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, suas palavras não são levadas a sério; e o resultado condicionador é nascer em uma área em que as estações do ano não são consistentes.

Um caso específico de fala inútil extremamente grave é distrair pessoas interessadas em praticar o Dharma.

Cobiça#

A cobiça se divide em três tipos: em relação em si, cobiça sobre outras pessoas e sobre coisas que não pertencem a nenhum dos dois.

A primeira é um apego intenso à própria etnia, aparência, qualidades e posses, que imagina: “Não há ninguém como eu.” A segunda é desejar os bens de outras pessoas, imaginando: “Não seria ótimo se isso fosse meu?” A terceira é desejar coisas que não pertencem a si ou outras, como as substâncias preciosas sob a terra, imaginando: “Não seria ótimo se eu tivesse isso?”

Os resultados disso são três: o resultado amadurecido é renascer como fantasma faminto; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, o desejo ganancioso será muito intenso; e o resultado condicionador é nascer numa área onde o que é cultivado tem má qualidade.

Um caso específico de cobiça extremamente grave é desejar roubar as posses de pessoas que verdadeiramente praticam a renúncia.

Intenção nociva#

Há três tipos de intenção nociva: aquela que surge da raiva, que surge da inveja e a do rancor.

A primeira é desejar matar outra pessoa devido ao ódio que surge, como acontece em campos de batalha. A segunda é a intenção de matar ou prejudicar devido ao receio de ser superada, por exemplo, em uma competição. A terceira é a intenção de matar ou prejudicar alguém de quem guardamos rancor, por exemplo, por ela ter nos prejudicado.

Seus resultados são três: o resultado amadurecido é nascer no inferno; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, ter muito ódio; e o resultado condicionador é nascer em uma área em que a comida é rançosa.

Um caso específico de intenção nociva extremamente grave é planejar cometer um ato de consequência imediata.

Visão invertida#

A visão7 invertida se divide em três tipos: visão invertida sobre karma, sobre as (4) verdades e sobre as Três Joias.

A primeira é não aceitar que virtude e desvirtude são as causas que resultam em conforto e sofrimento. A segunda — visão invertida sobre as verdades — é afirmar que alguém que pratica a verdade do caminho não obtém a verdade da cessação8. A terceira é a visão que difama as Três Joias como sendo algo falso.

Os resultados da visão invertida também são três: o resultado amadurecido é nascer como animal; o resultado similar à causa é, mesmo renascendo como humano, ter muita ignorância; e o resultado condicionador é nascer em uma localidade onde nada frutifica.

Um caso específico de visão invertida extremamente grave é a visão de que ações só geram os efeitos visíveis imediatos9.


Tipos específicos de amadurecimento#

Os resultados amadurecidos das ações foram apresentados de um ponto de vista genérico. Há ainda três explicações sobre tipos específicos de amadurecimento do karma: conforme as aflições, conforme a frequência e conforme o objeto da ação.

Karma conforme as aflições

No primeiro tipo — amadurecimento do karma conforme as aflições —, se as desvirtudes forem cometidas com base no ódio, o nascimento será no inferno; caso se baseiem no desejo, o nascimento será como fantasma faminto; e no caso da ignorância, o nascimento será como animal. Sobre isso, a G_uirlanda Preciosa_ menciona:

Através do desejo, se tornará fantasma faminto;
através do ódio, será empurrado para o inferno;
através da confusão, a maioria se torna animal.

Karma conforme a frequência

Na explicação do amadurecimento do karma conforme a frequência da ação, ao cometer uma quantidade incontável de desvirtudes, o nascimento será no inferno; com uma quantidade alta, o nascimento é como fantasma faminto; e com algumas desvirtudes, o nascimento é como animal.

Karma conforme o objeto da ação

Explicando o karma conforme o objeto, se a ação for cometida contra uma pessoa de realização espiritual elevada, o nascimento será no inferno; contra uma pessoa mediana, o renascimento será como fantasma faminto; e contra pessoas de pouca realização, o nascimento será como animal.

Esta foi a explicação sobre ações demeritórias e seus resultados. Sobre isso, a Guirlanda Preciosa diz:

Apego, aversão, ignorância
e aquilo que nasce disso são desvirtudes.
Todo o sofrimento surge da desvirtude,
assim como todos os estados inferiores.

Ações meritórias e seus resultados#

As ações meritórias são as dez virtudes, que são o abandono das dez desvirtudes junto com o engajamento em ações positivas10: assegurar que outros seres vivam, fazer muitas doações, manter conduta sexual apropriada, falar a verdade honestamente, pacificar inimizades e unir as partes, conversar de modo sincero e significativo, ansiar pouco e ter contentamento, cultivar qualidades como amor e engajar-se na visão genuína.

Os resultados das ações meritórias também são três. O resultado amadurecido é nascer como divindade ou humano no reino do desejo. O resultado similar à causa é ter vida longa, já que o assassinato de seres foi abandonado e atos que protegem a vida alheia são realizados. Essa mesma lógica (em que é obtido o contrário da desvirtude correspondente) se aplica para as demais ações meritórias.

O resultado condicionador é nascer em um local com condições excelentes e muita vitalidade, por ter-se abandonado a matança de seres. A mesma lógica se aplica para o restante.

Esta foi a apresentação das ações meritórias e seus resultados. Sobre isso, a Guirlanda Preciosa afirma:

A ausência de apego, aversão, ignorância
e aquilo que nasce disso são virtudes.
Todos os destinos felizes surgem da virtude,
assim como todo o conforto nos renascimentos.

Ações que não provocam mudança11 e seus resultados#

Cultivar a concentração em absorções meditativas resulta em renascimentos em tais concentrações. Esse tipo de concentração envolve oito estágios preparatórios, oito concentrações principais e oito concentrações especiais.

Os resultados — renascer em estados de concentração — são os estados divinos dos 17 tipos de reinos da forma e das quatro esferas perceptivas12 da não forma. Resumindo o encadeamento kármico disso, a causa em geral desses nascimentos é a prática das dez virtudes13.

Ao cultivar o caminho que remove incapacidades e obstáculos do estágio preparatório da primeira concentração, isso leva à prática de fato da primeira concentração principal, que é dotada de discernimento conceitual e êxtase corporal e mental. Cultivar esse “samadhi”14 leva ao nascimento nos reinos divinos de Brahma. Já cultivar a concentração especial desse estágio leva ao nascimento no Grande Reino de Brahma.

Ao cultivar o caminho que remove obstáculos do estágio preparatório da segunda concentração, isso leva à prática de fato da segunda concentração principal, dotada de êxtase mas com abandono do discernimento conceitual. Cultivar esse samadhi leva ao nascimento em reinos divinos da segunda concentração, como o Reino da Luz Menor.

Da mesma maneira são os outros estágios preparatórios (que levam à prática de fato de suas respectivas concentrações principais).

Na prática de fato da terceira concentração principal, há um samadhi em que o prazer corporal é abandonado, mas há êxtase mental. Cultivar isso leva ao nascimento em reinos divinos da terceira concentração, como o Reino da Virtude Menor.

Na prática de fato da quarta concentração principal, há o abandono do discernimento conceitual, prazer corporal e êxtase mental. Cultivar isso leva ao nascimento em reinos divinos da quarta concentração, como o Reino Sem Nuvens.

O que resulta da renúncia dessas quatro concentrações (praticadas nessa sequência) é a meditação na esfera perceptiva do espaço infinito. Cultivar isso leva ao nascimento divino na Esfera do Espaço Infinito15.

O que resulta da renúncia disso é a meditação na esfera perceptiva da consciência infinita. Cultivar isso leva ao nascimento divino na Esfera da Consciência Infinita.

O que resulta da renúncia disso é a meditação na esfera perceptiva de absolutamente nada. Cultivar isso leva ao nascimento divino na Esfera do Absolutamente Nada.

O que resulta da renúncia disso é a meditação na esfera perceptiva que não é cognição nem não cognição. Cultivar isso leva ao nascimento divino na Esfera que Não é Cognição Nem Não Cognição.

— O que significa “o que resulta da renúncia”?

Significa que o próximo nível de absorção é realizado através de um desencanto que leva à renúncia do apego ao nível atual.

— Termos como “esfera perceptiva do espaço infinito” se referem a um objeto real da meditação?

Não. Durante as primeiras três absorções nomeadas, termos como “espaço infinito” são imaginados pela mente, por isso receberam esses nomes. Depois, quando a absorção meditativa é dominada, não há mais essa imaginação. Já na última (“esfera perceptiva que não é cognição nem não cognição”), esse nome vem meramente de uma conceitualização reduzida, não é que ela tenha sido realmente purificada. Além do mais, todas as oito concentrações principais são meramente um foco mental unidirecional na virtude16.

Esta foi a apresentação das ações que não provocam mudança e seus resultados. Sobre isso, a Guirlanda Preciosa afirma:

Através das concentrações, das imensuráveis
e dos estados da não forma,
êxtases como o de Brahma são vivenciados.

Desse modo, os criadores da manifestação deste círculo vicioso são os três tipos de ações contaminadas (ações com mérito, demeritórias e as que não provocam mudança).

3. Atribuição#

O terceiro ponto se chama “atribuição17”: o resultado de uma ação é experimentado por quem a realizou. O karma não amadurece em nenhum outro lugar além dos agregados de corpo e mente do sujeito da ação. Sobre isso, a Compilação do Abidharma menciona:

“O que significa ‘aquilo que é meu’?” Se diz que “é meu” porque o amadurecimento da ação será experimentado por quem a realizou, isso não será compartilhado com outros seres.

Se não fosse assim, haveria os defeitos de uma ação realizada ter seu karma extinto ou encontrarmos o karma de algo que não realizamos. Então um sutra (Base do Vinaya) ensina:

Os atos realizados pelo próprio Devadatta não vão amadurecer em coisas como a terra ou água, vão amadurecer apenas em seus agregados de corpo e mente, na esfera perceptiva dele mesmo. Onde mais isso amadureceria?

4. Proporção exata#

O quarto ponto é chamado de “proporção exata” de resultados a serem vivenciados devido às ações. O resultado de ações positivas ou negativas é a infalível experiência de conforto ou sofrimento: ao acumular um karma positivo, o resultado é a experiência de felicidade; ao acumular um karma negativo, o resultado é a experiência de sofrimento. Nesse sentido, a Compilação do Abidharma menciona:

“Como funciona a proporção exata do karma a ser vivenciado?” Aquilo que alguém realizou é o que ela experimenta, porque a exata proporção de ações positivas e negativas realizadas é o que cada ser vivencia.

E o Sutra da__s Aplicaçõ__es da Atenção curto diz:

Através da virtude, conforto é obtido;
da desvirtude, surge o sofrimento.
Por isso, ações positivas, negativas
e seus resultados são ensinados claramente.

O Sutra Solicitado por Sura__t__a também afirma:

Sementes picantes geram frutos ardentes,
sementes doces geram frutos doces.
Através deste exemplo, pessoas instruídas
devem reconhecer o amadurecimento
da negatividade como ardente,
e o amadurecimento positivo, como doce.

5. Multiplicação#

O quinto ponto é sobre uma pequena ação amadurecer em um grande resultado. Tomando como exemplo o karma negativo, há ensinamentos do Buda em que um instante mental de maldade provoca a experiência de uma era cósmica no inferno, assim como menciona Engajamento na Ação Bodisatva:

Quem quer que alimente hostilidade contra
tal generosa descendência vitoriosa (bodisatvas),
permanecerá no inferno por eras tão numerosas
quanto os momentos de maldade, o Sábio proclamou.

O Buda também pronunciou outros ensinamentos sobre o sofrimento a ser experimentado, como um em que cada negatividade na fala provoca 500 renascimentos de tormento. A Coletânea de Provérbios ensina:

Mesmo uma pequena maldade pode causar
imenso terror e ampla ruína na próxima existência,
como um veneno que se aloja dentro do corpo.

Mas um pequeno ato de virtude também pode gerar um resultado enorme. Sobre isso, a Coletânea de Provérbios diz:

A realização de um pequenino ato meritório
pode levar a imensa felicidade na próxima existência,
criando amplos benefícios, como grãos
que amadurecem em prosperidade exuberante.

6. Inevitabilidade#

O sexto ponto é sobre a chamada “inevitabilidade” do karma. Com a exceção do karma para o qual foi gerado um antídoto, o amadurecimento do resultado não é destruído nem dissipado, mesmo após imensuráveis eras cósmicas. Ainda que ações realizadas permaneçam em estado dormente por muito tempo, surpreendentemente, basta alguém se deparar com as condições apropriadas para que o resultado seja produzido.


Assim, ao temer o sofrimento da existência cíclica e adquirir confiança no princípio de ação e resultado, acontece como é dito (em Tocha Para o Caminho da Iluminação):

Virando as costas para o prazer da existência condicionada e rechaçando ações negativas,
a pessoa que se esforça pela própria paz
tem uma capacidade chamada de “mediana”.

Dessa maneira, a pessoa dá nascimento à capacidade mediana em sua mente, do mesmo modo como fizeram as setes filhas do Rei Krikrin18, por exemplo. Sobre isso, o sutra Cem Ensinamentos Sobre Karma ensina:

As ações dos seres vivos não se
esgotam mesmo após cem eras.
Quando as condições se reúnem
e chega a hora, o resultado amadurece.

O Sutra das Aplicações da Atenção curto também diz:

É possível que o fogo esfrie,
que o vento seja capturado no lasso,
que o sol e a lua caiam na terra,
mas não é possível que
o amadurecimento do karma falhe.

Este foi o “Capítulo 6 – Ensinamento sobre ações e resultados”, do Ornamento da Liberação Preciosa, o Dharma Sagrado que é Como Uma Joia que Realiza Desejos.


1 Em tibetano, a palavra “ação” (tib.: las) é um sinônimo para “karma”.

2 A tradução literal de “roubar” (tib.: ma byin par len pa) é “pegar o que não foi dado”. Esse é o significado mais preciso — se apropriar de algo perdido ou de coisas na natureza também são considerados “roubos”, por exemplo.

3 O significado disso é um lugar que impossibilita a prosperidade (colheita).

4 Esses preceitos refletem a rígida cultura dominante na época do Buda, há mais de 25 séculos na Índia. Sumarizando o que hoje deve ser considerado “conduta sexual imprópria”, o Dalai Lama afirmou que é aquela que causa danos e sofrimento.

5 Período em que praticantes leigos assumem temporariamente votos de renúncia.

6 Apesar da palavra em sânscrito “tirthika” (tib.: mu stegs pa) literalmente significar “herege”, o significado prático — devido ao contexto histórico — se refere a pessoas de uma tradição que se opõe de modo agressivo ao budismo ou outras tradições.

7 A palavra “visão” se refere a uma visão de mundo consolidada. Não se trata de uma mera opinião impensada sobre algo, mas sim, a criação de toda uma teoria e atitude sobre essas opiniões.

8 Este tipo de visão invertida basicamente se refere a considerar como mentira o fim do sofrimento como sendo o fruto do caminho espiritual.

9 Isso é considerado grave pois essa visão é uma motivação sistemática para a realização de atos que prejudicam seres.

10 As virtudes a seguir são o oposto das dez desvirtudes.

11 O termo “ações que não provocam mudança” se refere ao karma gerado pelo apego a estados meditativos, que provoca renascimento nos dois estados divinos superiores da forma e da não forma. É assim chamado pois, com a exceção desse tipo de nascimento, não é provocada nenhuma outra alteração.

12 “Esfera perceptiva” (tib.: skye mched; sânsc.: ayatana) se refere ao conjunto formado pelas faculdades de corpo e mente e seus respectivos objetos.

13 O resultado da mera prática da virtude, sem a mente do despertar, são esses destinos elevados do ciclo vicioso do samsara.

14 No budismo Mahayana, a palavra samadhi é relativamente neutra, significando uma concentração mais profunda na prática de shamata (calmo descansar), que sozinha não leva à liberação. Na época do Buda, essa era uma prática comum entre não budistas.

15 Todos esses estados divinos ainda fazem parte do samsara.

16 “Foco unidirecional na virtude” é uma das definições de shamata, a prática da atenção direcionada.

17 A tradução literal de “atribuição” (tib.: bdag gir bya) é “aquilo que é meu”.

18 As filhas do Rei Krikin renunciaram a bens materiais para praticar o Dharma, recusando inclusive oferendas divinas do deus Indra.