Pular para conteúdo

Capítulo 13 – Perfeição da disciplina#

O resumo da perfeição da disciplina1 é:

Contemplação das falhas (de não ter)
e os seus benefícios, constituição, tipos,
características de cada tipo, como expandir,
como torná-la pura e resultado. Estes sete pontos
resumem a perfeição da disciplina.

1. Falhas da ausência de disciplina e os seus benefícios#

Explicando o primeiro ponto, se alguém for generoso mas não tiver disciplina, não vai obter a existência excelente de divindades e humanos, que é como uma purificação (dos destinos inferiores). Sobre isso, Introdução à Madhyamaka também afirma:

A pessoa que quebra as pernas da disciplina
pode ainda ter bens através da generosidade,
mas cairá em destinos inferiores.

Além do mais, alguém que não tem disciplina não encontra o Dharma. Sobre isso, Sutra da Manutenção da Disciplina também menciona:

Assim como, sem olhos, formas não são vistas,
sem disciplina, o Dharma não é visto.

Quem não tem disciplina também não se liberta do ciclo vicioso dos três mundos. Sobre isso, esse mesmo sutra diz:

Como alguém que não tem pernas
pode iniciar um caminho?
Desse mesmo modo,
sem disciplina não há liberação.

Já que o caminho da budeidade fica incompleto sem disciplina, a iluminação insuperável não é realizada.


O contrário disso é que, com disciplina, uma existência corporal excelente é obtida. Sobre isso, o Sumário da Perfeição da Sabedoria também afirma:

Através da disciplina, a base
dos diversos destinos animais
e as oito limitações são abandonadas.
Assim, as liberdades2 são sempre encontradas.

Além do mais, com disciplina, a base de todo bem-estar é estabelecida. Sobre isso, Carta a um Amigo acrescenta:

Assim como a terra é a base para tudo
o que é animado ou inanimado,
a disciplina é a fundação excelente
de todas as qualidades, conforme o Buda ensinou.

Possuir disciplina também é como um campo fértil, onde a colheita de todas as qualidades se multiplica. Sobre isso, Introdução à Madhyamaka também menciona:

Quando as qualidades se multiplicam
no campo da disciplina, seus frutos
são usufruídos sem interrupção.

Se houver disciplina, também surgirão muitas vias de entrada para a concentração meditativa. Nesse sentido, o Sutra de Tchandraprabha diz:

A obtenção do samadhi livre de aflições
é um benefício da pureza na disciplina.

Além do mais, com disciplina, qualquer prece de aspiração é realizada. Sobre isso, o Sutra do Encontro da Criança com o Pai também profere:

Quem mantém disciplina pura
realiza todas as preces de aspiração.

Com disciplina, também é mais fácil realizar a iluminação. Sobre isso, o mesmo sutra diz:

Já que a pureza de disciplina tem muitos benefícios,
a realização da iluminação vem sem dificuldades.

Há todos esses e outros benefícios, assim como pronuncia o Sutra da Manutenção da Disciplina, entre mais menções:

Pessoas com disciplina presenciam
o aparecimento de budas,
Pessoas com disciplina são
os melhores de todos ornamentos,
Pessoas com disciplina são
a fonte de toda alegria,
Pessoas com disciplina são
louvadas em todo o mundo.

2. Constituição da disciplina#

A disciplina é constituída por quatro qualidades, assim como é ensinado no texto Níveis Bodisatva:

Deve ser entendido que a disciplina possui quatro qualidades. “Quais são essas quatro?” Ela é recebida de modo genuíno e perfeito de outra pessoa; intenção totalmente pura; caso degenere, é restaurada; o cultivo de respeito e lembrança constante evita sua degeneração.

Em resumo, essas quatro qualidades se referem à adoção (dos preceitos) e sua proteção. A adoção está no primeiro ponto; e a proteção, nos últimos três.

3. Tipos de disciplina#

Há três tipos: a disciplina de contenção, de reunir virtude e a de beneficiar seres sencientes. A primeira estabiliza a mente, a segunda amadurece o Dharma no próprio contínuo mental e a terceira ajuda a amadurecer espiritualmente seres sencientes.

4. Características de cada tipo#

Disciplina de contenção#

A disciplina de contenção (com votos) se divide em comum e extraordinária.

A disciplina comum (de contenção) são os sete tipos de ordenação pratimoksha. Sobre isso, o texto Níveis Bodisatva afirma:

A disciplina dos votos bodisatva está nas sete categorias em que os votos pratimoksha são recebidos totalmente: são as pessoas que mantém a disciplina de um monge, monja, monja aspirante, monge noviço, monja noviça, leigo ordenado e leiga ordenada. Conforme o caso, elas são reconhecidas como sendo pessoas leigas ou renunciantes.

Isso tudo é sobre abandonar o que prejudica outros seres junto com suas causas. A ordenação pratimoksha faz isso para o próprio benefício, já bodisatvas o fazem para o bem alheio. Sobre isso, o Sutra Solicitado por Narayana ensina:

A disciplina não é protegida para obter realeza, não é para obter existências elevadas, para um status como o de Indra, Brahma ou Ishvara, não é para obter bens ou forma física. Do mesmo modo, a disciplina não é protegida devido ao medo dos terrores dos infernos, assim como não é por medo de renascer como animal ou dos mundos do senhor da morte que a disciplina é protegida. Pelo contrário, ela é mantida para a realização da budeidade, para beneficiar e prover felicidade para todos os seres.

Já sobre a disciplina extraordinária (de contenção com votos), a tradição de atcharya Shantideva, conforme o Sutra de Akasha-gharba, explica que há cinco quedas-raiz (da ordenação) para reis, cinco para ministros e oito para iniciantes. Nominalmente, são 18; na prática, o treinamento consiste em abandonar 14 quebras3. O sutra menciona:

(1) Roubar bens das Três Joias é declarado como uma queda-derrota4;
(2) e provocar o abandono do Dharma (em outras pessoas). Essas duas foram ensinadas pelo Sábio.
(3) Fazer com que uma pessoa com ordenação monástica completa que quebrou os votos tenha seus mantos tomados, que seja agredida, aprisionada ou forçada a abandonar a ordenação.
(4) Cometer algum dos cinco atos de consequência imediata.
(5) Aderir a uma visão invertida5.
(6) Destruir cidades, vilarejos etc.

O Vitorioso ensinou que essas6 são quedas-raiz.

(7) Mencionar a vacuidade para pessoas destreinadas.
(8) Fazer com que pessoas que adentraram o caminho da budeidade desistam da iluminação completa7.
(9) Fazer alguém abandonar o caminho da liberação individual para praticar o Mahayana8.
(10) Manter a visão de que o caminho shravaka não elimina aflições como o desejo, e convencer outras pessoas disso9.
(11) Mencionar as próprias qualidades — em busca de bens, honrarias e aclamação — difamando outras pessoas.
(12) Enganosamente dizer: “Eu tenho realização da vacuidade.”
(13) Fazer com que um praticante seja punido; ele, então, rouba bens da Três Joias para oferecer (como pagamento); e a oferenda é aceita.
(14) Provocar o abandono da prática de concentração (em outra pessoa), ou transferir os bens de alguém que medita perfeitamente para alguém que apenas recita.10

Essas são quedas-raiz, causas para o sofrimento nos grandes infernos.

Já a tradição do eminente Serlingpa, seguindo a escritura Níveis Bodisatva, explica que o treinamento é abandonar as quatro quedas similares às derrotas11 e as 46 infrações (secundárias). Conforme o texto Vinte Votos, que resume Níveis Bodisatva, essas quatro quedas são:

(1) Por apego a bens e honras,
elogiar a si e criticar outras;
(2) por avareza, não doar o Dharma e bens
para seres sofrendo sem proteção;
(3) atacar outras pessoas raivosamente,
sem dar ouvidos ao seu arrependimento;
(4) abandonar o Mahayana e apresentar
ensinamentos que imitam o Dharma sagrado.

Sobre as 46 infrações, o mesmo texto diz:

Não fazer as três oferendas (diárias) às Três Joias;
engajar-se profundamente nos desejos da mente; ...

E todas as demais são ensinadas.

Disciplina de reunir virtude#

Sobre o segundo tipo de disciplina, após adotar completamente a disciplina de contenção (com votos) bodisatva, há a acumulação de virtudes de corpo e fala para realizar a iluminação. Quaisquer que sejam, todas elas são resumidas como a “disciplina de reunir virtude.”

— Mas quais são elas?

O texto Níveis Bodisatva menciona:

Mantendo a base que é a disciplina bodisatva, ser diligente no regozijo exclusivo em receber, refletir e meditar no Dharma; honrar e servir gurus; ajudar e cuidar de doentes; doar generosamente; mencionar qualidades alheias, regozijar no mérito de outras; ser paciente com abusos; dedicar o mérito para a iluminação; fazer preces de aspiração; fazer oferendas às Três Joias; manter diligência; ser cuidadoso; lembrar do treinamento; proteger a vigilância introspectiva; guardar as portas dos sentidos; comer na medida certa; não dormindo muito cedo nem muito tarde, esforçar-se em ioga; confiar em pessoas sagradas e mestres espirituais; ao examinar a própria confusão, confessar e descartar. Realizar, proteger e multiplicar essas práticas é a disciplina de reunir virtude.

Disciplina de beneficiar seres#

A disciplina de beneficiar seres sencientes é entendida conforme 13 pontos.

— Quais são eles?

O texto Níveis Bodisatva diz (sobre os primeiros 11):

Ajudar pessoas que realizam atividades benéficas; dissipar a dor de seres sencientes em sofrimento; apresentar conhecimento para pessoas inábeis; reconhecer a bondade alheia e retribuir de forma benéfica; proteger seres em perigo; aliviar o desespero de quem sofre; prover com bens os destituídos; atrair habilmente seres para o Dharma e atuar em conformidade com a mentalidade deles; através de qualidades genuínas, alegrá-los; corrigir corretamente; inspirar espanto e aspiração (pelo Dharma) com atos milagrosos.

Além disso, para inspirar a fé alheia e evitar a própria degeneração, bodisatvas abandonam ações impuras das três portas12 e se baseiam em suas três purezas (completando 13 pontos).

Ações impuras de corpo#

Sobre as ações impuras de corpo, abandone a conduta indisciplinada de ficar fazendo coisas desnecessárias como correr ou pular. Já ações puras se referem a permanecer em tranquilidade, com gentileza e alegria. Sobre isso, é dito (em Engajamento na Ação Bodisatva):

Assim, com domínio de si,
sempre mantenha-se sorridente,
livre-se da cara feia ou sombria,
seja uma amizade genuína para os seres.

— Como olhar para outras pessoas?

(No mesmo texto13,) isso é ensinado assim:

Ao ver seres sencientes, considere:
“É exatamente com base neles
que realizarei a budeidade em si.”
Olhe com amor e sinceridade.

— Na hora de sentar, como fazer?

Assim é ensinado:

Não sente com as pernas esticadas.
Não esfregue os braços ao mesmo tempo.

— Na hora de comer, como se portar?

Assim como é dito:

Não coma enchendo a boca,
de modo ruidoso ou de boca aberta.

— Como devo me comportar?

Assim é ensinado:

Não empurre móveis e outras coisas
de modo descuidado e barulhento.
Não abra portas violentamente.
Sempre deleite-se em quietude.

— Na hora de dormir, como fazer?

Isso é ensinado assim:

Deite-se do mesmo modo que o Protetor,
quando passou ao nirvana,
voltada para a direção que preferir.

Ações impuras da fala#

Sobre a aplicação impura da fala, abandone a conversa excessiva ou mordaz. Em relação ao excesso, o Sutra da Nuvem de Joias ensina, entre mais menções:

Pessoas imaturas se desviam do Dharma sagrado.
Com uma mente sem suavidade, muito ríspida,
se afastam bastante da shamata e vipashyana.
Estas são as falhas do deleite em conversas.

Com frequência, não há respeito por mestres,
surge prazer em diálogos poluídos,
e insistência no que não tem sentido
— a sabedoria deteriora.
Estas são as falhas do deleite em conversas.

Sobre a fala mordaz, o Sutra de Tchandraprabha afirma:

Mesmo que presencie os erros de alguém,
não proclame essas falhas.
Conforme a ação que cometer,
você obterá a consequência correspondente.

O Sutra que Demonstra o Não Surgimento de Todos os Fenômenos diz, entre mais menções:

Ao conversar sobre a queda de uma pessoa bodisatva,
a iluminação fica distante. Ao conversar tendo inveja, a iluminação fica distante.

Por isso, a fala excessiva e mordaz deve ser abandonada.

— Como se engajar em ações puras de fala?

Assim como é ensinado (em Engajamento na Ação Bodisatva):

Ao falar, seja honesto e
coerente, claro e agradável,
abandonando apego e raiva,
com gentileza e moderação.

Engajamento impuro da mente#

A atividade impura da mente é o apego a coisas como ganhos, honrarias, sono, preguiça etc. Sobre as falhas do apego a bens e honras, o Sutra do Encorajamento à Intenção Superior ensina, entre mais menções:

Maitreya, bodisatvas devem examinar o surgimento do apego a ganhos e honrarias. Devem reconhecer como isso gera raiva, ignorância e desonestidade. Devem examinar como ganhos e honrarias não são permitidos por nenhum buda, como isso sequestra as bases da virtude. Devem examinar o modo como ganhos e honrarias são uma sedução perigosa.

Mesmo com a obtenção de bens, não há satisfação. O Sutra do Encontro da Criança com o Pai afirma:

Assim como a água imaginada em um sonho
é ingerida mas não satisfaz,
ao depender dos prazeres dos desejos,
não haverá satisfação.

Após considerar isso, reduza os desejos e cultive contentamento.

Sobre as falhas de se deleitar no sono, é dito (no Sutra do Encorajamento à Intenção Superior):

A compreensão (prajna) de pessoas que
se deleitam na preguiça e sono se torna insignificante.
Seu intelecto também deteriora completamente,
e há degeneração em relação à sabedoria primordial.

Também diz, entre mais menções:

Pessoas que se deleitam na indolência e sono,
devido à ignorância e preguiça,
têm a compreensão distorcida;
encontrarão danos causados por não humanos e,
ao permanecer em florestas, sofrerão danos.

Então, abandone isso.

Já a atividade pura da mente é permanecer com fé e essas outras qualidades já mencionadas.

5. Como expandir a disciplina#

A disciplina é expandida com sabedoria primordial, prajna e dedicação, conforme já explicado (sobre a generosidade).

6. Como torná-la pura#

A disciplina se torna pura quando praticada com a visão da vacuidade e compaixão, conforme já mencionado (em relação à generosidade).

7. Resultado#

Os frutos da disciplina devem ser entendidos como dois: o resultado final e o provisório.

O resultado final é a realização da iluminação insuperável, como menciona Níveis Bodisatva:

A pessoa bodisatva que completa perfeitamente a transcendência da disciplina realiza genuinamente a iluminação perfeita e completa.

O resultado provisório é que, mesmo sem desejar, são obtidos conforto e felicidade excelentes no samsara, assim como é dito na Coleção de Escrituras d__e Bodisatvas:

Shariputra, não há nenhuma abundância de bens divinos ou humanos que a pessoa bodisatva com essa pura disciplina não desfrute.

Apesar desse conforto e alegria mundanos, eles não vão dominar e haverá engajamento no caminho bodisatva, como o Sutra Solicitado por Narayana ensina, entre mais menções:

A pessoa bodisatva que possui tal acúmulo de disciplina, mesmo sendo uma majestade universal, não decai: ela ainda é cuidadosa e anseia pela iluminação. Mesmo sendo como Indra, ela não decai: ainda é cuidadosa e anseia pela iluminação.

Além disso, quem possui disciplina recebe oferendas e reverência de humanos e não humanos, assim como é dito no mesmo sutra:

Divindades sempre reverenciam a pessoa bodisatva que mantém a acumulação da disciplina. Nagas sempre louvam, espíritos prejudiciais sempre elogiam, gandharvas sempre fazem oferendas, brâmanes, pessoas da realeza, mercadores e chefes de família sempre suplicam a ela. Budas constantemente olham por ela. Essa pessoa sempre domina o mundo e suas divindades.

Este foi o “Capítulo 13 – Perfeição da disciplina”, do Ornamento da Liberação Preciosa, o Dharma Sagrado que é Como Uma Joia que Realiza Desejos.


1 O significado essencial de “disciplina” (tib.: tshul khrims) está ligado à sua origem em sânscrito “shila”, que traz um senso de “refrescar” — ao restringir a liberdade total das negatividades, elas param de “queimar”, surgindo assim frescor e alívio.

2 Sobre as oito liberdades do corpo humano precioso, ver “Capítulo 2 | 1. Liberdades”.

3 Esses são os votos bodisatva na linhagem de Shantideva. Apesar das referências a reis e ministros, valem para qualquer praticante.

4 “Quedas-derrotas” são as mais graves, já que “derrotam” ou anulam a ordenação.

5 Ver “Capítulo 6 | 2. Características do karma | Ações demeritórias | Visão invertida”.

6 As primeiras cinco são as “quedas-raiz para reis”, no sentido de que reis (ou pessoas poderosas) têm mais poder para cometer isso. As “quedas-raiz para ministros” são as primeiras quatro mais a sexta.

7 Por exemplo, dizendo que elas não têm capacidade para isso e que, para elas, seria melhor a liberação individual.

8 No caso de um conselho dado para alguém que pratica o Mahayana, essa queda implica dizer que não é preciso se preocupar com os preceitos individuais pratimoksha, como não cometer desvirtudes etc.

9 Isso se refere a difamar o Shravakayana como algo que não traz benefícios para vidas futuras e que não pacifica todas as aflições.

10 Estas são as oito quedas-raiz para iniciantes.

11 Equivalentes às quatro quedas-raiz pratimoksha (matar, roubar, conduta sexual imprópria e mentira espiritual).

12 Corpo, fala e mente.

13 Todas as citações desta seção (Ações impuras de corpo) são de Engajamento na Ação Bodisatva, de Shantideva.